Segunda-feira, 29 de maio de 2017 às 23:03 em Copa Truck
DF Motorsport e FF Motorsport marcam os primeiros pontos na Copa Truck.

Djalma #72, que sofreu uma desclassificação no top qualifying do sábado ficando na última posição no grid decidiu largar dos boxes poupando o equipamento do calor intenso do domingo.

Ao final de duas voltas com o Safety Car à frente do pelotão, a largada foi autorizada pelo diretor de provas e os caminhões partiram enfim para a tão esperada primeira corrida da categoria e na quinta volta Djalma teve que retornar aos boxes com falhas intermitentes no sistema de alimentação do seu Ford, perdendo um tempo precioso.. "Optamos por largar dos boxes e fazer uma corrida de chegada, não temos equipamento hoje para brigar de igual pra igual com os outros, mas apostávamos em chegar inteiros pra segunda prova. Mesmo com um ritmo bem controlado rapidamente avancei e estaria sem muito esforço entre os seis primeiros, mas perdi algumas voltas parado no box para troca de uma mangueira e isso comprometeu todo nosso plano." disse Djalma.

Djalma Fogaça, muito esforço para colocar os caminhões no grid no final de semana. Foto: Barbara Bonfim

Fabio Fogaça, filho de Djalma, além de chefe da FF Motorsport pilota agora o caminhão numeral 27 e em sua segunda experiência nos brutos, já que ano passado substituiu Ronaldo Kastropil em uma prova, também largou dos boxes e partiu para a briga na pista escalando e mantendo seu Truck no pelotão intermediário, aproveitando-se nos momentos certos para brigar por posições, cruzando a linha de chegada em sétimo lugar, a 1min04s643 do histórico vencedor da primeira prova, Roberval Andrade (#15).

Na segunda rodada do dia, os caminhões largaram em fila indiana e Djalma conseguiu dar apenas três voltas, abandonando a prova, pois o problema na bomba de óleo se agravou."Na segunda corrida eu iria ter uma boa disputa  com o Beto Monteiro, vencedor da prova pois meu caminhão andou com mais folga  na primeira corrida e era muito superior  aos outros, mas a pressão de óleo começou a baixar a zero e para não perder o motor com uma quebra preferi abandonar." comentou Fogaça.

Fabio Fogaça (#27) terminou as duas provas e marcou 29 pontos, ficando na quinta colocação da Copa, junto com Luiz Lopes. Foto: Barbara Bonfim.

Fabio, que largou em sétimo, manteve o ritmo, conquistando mais uma posição durante a prova, terminando em sexto, a apenas 34s756 do vencedor Beto Monteiro #88, conseguindo marcar pontos importantes. "Parabéns ao Fabinho que correu com inteligência para chegar ao final e salvou bons pontos para a equipe, mesmo com um caminhão debilitado, chegando bem nas duas provas. Goiânia é muito difícil, muitas quebras e para as equipes, que também como a nossa, tiveram pouquíssimo tempo de preparação, quarenta dias pra ser mais exato, a luta diária de todos era arrumar parceiros para que tivéssemos condições de estar na pista e cumprir o que acordamos com o organizador da categoria e conseguimos. Quero parabenizar ao Roberval Andrade e Beto Monteiro pelas vitórias, mas tenho comigo que os vencedores fomos todos nós!" completou Djalma.

No final, os vencedores foram todos, pilotos e equipes. Foto: Sergio Rodrigues

A classificação da Copa Centro Oeste, após a etapa de Goiânia ficou assim:

1 - Roberval Andrade, 41 pontos
2 - Regis Boessio, 40
3 - Beto Monteiro e Débora Rodrigues, 38
5 - Fábio Fogaça e Luiz Lopes, 29
7 - Renato Martins, 28
8 - José Maria Reis, 25
9 - Danilo Dirani, 22
10 - Rodrigo Belinati, 21
11 - David Muffato, 20
12 - Joel Mendes Jr., 11
13 - Duda Bana, 10
14 - Djalma Fogaça, 9
15 - Adalberto Jardim, 1

A DF Motorsport tem o apoio de Brazul, Cesari, Radiex, Italy Tec, Solution Blindagens, Knoor Bremse, Valeo, BR Export Hotelaria Hospitalar, Meritor, Chicalé, Lexux BR, Fontanella Transportes, Sparco, Platodiesel, VMO,Flash e ZF.

A FF Motorsport tem o apoio de Brazul, Cesari, Knoor Bremse, Valeo, BR Export Hotelaria Hospitalar, Meritor, Chicalé, Hospital Santo Antônio, Sparco, Platodiesel, Lexux BR,  Flash e ZF.

Fonte: Digital Brasil Press Comunicação.

Fotos: Barbara Bonfim e Sergio Rodrigues

COMENTÁRIOS